domingo, 19 de janeiro de 2014

Entrevista com a pedagoga Karina Fontoura da Casa Durval Paiva, em Natal

A ROTINA E A DISCIPLINA NO ENSINO DA CRIANÇA COM CÂNCER

A preocupação com a readaptação ao ambiente escolar e social, além do futuro acadêmico e profissional da criança com câncer faz com que a continuidade dos estudos seja fundamental para garantir uma melhor qualidade de vida, durante e após o tratamento. Dessa forma, é necessário estabelecer condutas e rotinas que proporcionem a continuidade do aprendizado. Para falar sobre “A rotina e a disciplina no ensino da criança com câncer” vamos conversar com Karina Fontoura – pedagôga da Casa de Apoio à Criança com Câncer Durval Paiva, em Natal.

1 - Qual a importância da rotina e da disciplina para o estudo da criança que está doente?
 

RESPOSTA: É de extrema importância para a criança e o adolescente, uma vez que, a partir da rotina cria-se o hábito de um horário pré-estabelecido de estudos que resultará no bom desenvolvimento da aprendizagem. A disciplina nos estudos deve proporcionar momentos proveitosos já que a criança tem sua rotina alterada devido à doença e ao contexto do tratamento.

2 - O que devemos observar para estabelecer o horário da lição de casa mediante uma rotina de tratamento médico?

RESPOSTA: Primeiramente, sempre observar e respeitar a limitação da criança e do adolescente, pois o tratamento de saúde pode trazer reações adversas fazendo com que os pacientes fiquem indispostos. A partir disso é preciso criar um momento em que possa ser realizada a atividade, de acordo com o bem-estar do paciente.

3 - Como deve ser o espaço onde essa criança deve estudar? É possível estudar no hospital, por exemplo?

RESPOSTA: Deve ser um espaço tranquilo, sem muitos brinquedos para que o paciente não perca a concentração e atenção, que devem estar voltadas para a aprendizagem naquele momento. E é possível sim estudar no hospital, temos na Policlínica uma sala de atendimento na classe hospitalar, onde somos amparados pela Secretaria Estadual de Educação. Temos duas pedagogas que fazem este trabalho de acompanhamento pedagógico dos pacientes que estão afastados da escola por motivo de tratamento e que se encontram nos leitos.

4 - Como os pais podem ajudar as crianças a terem uma rotina de estudos?

RESPOSTA: Sempre se disponibilizando a estarem com eles, juntos, acompanhando diariamente as atividades escolares. Essa também é uma forma de estar presente na vida escolar da criança e do adolescente.

5 - Qual o resultado alcançado com a execução das tarefas escolares pelas crianças, até mesmo em um contexto de tratamento oncológico?

RESPOSTA: Observamos que devido a este acompanhamento que é realizado na Sala de Apoio Pedagógico e na Classe Hospitalar, quando os pacientes saem do tratamento podem retornar a escola sem perda do ano letivo, podendo assim dar continuidade aos estudos.

6 - Qual a importância da comunicação entre pais e professores na educação da criança com câncer?

RESPOSTA: É de extrema importância, pois é através dessa parceria família/professor que conseguimos atingir nossos objetivos, que sempre será o bom desenvolvimento, e acompanhamento do nosso fazer pedagógico, fazendo com que aconteça uma aprendizagem satisfatória.

A CASA:

A Casa Durval Paiva ampara crianças e adolescentes carentes portadores de câncer e doenças hematológicas crônicas, juntamente com seus responsáveis, durante o tratamento em Natal, possui 816 pacientes cadastrados, crianças e adolescentes oriundas de 132 municípios do Estado.

CONTATO: (084) 4006-1600. Endereço: Rua Clementino Câmara, 234 Barro Vermelho – Natal

Site: www.caccdurvalpaiva.org.br/ facebook.com/casadurvalpaiva

*Fonte: Assessoria de Comunicação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário