quarta-feira, 30 de agosto de 2017

PESQUISA ANALISA A PERCEPÇÃO DE USUÁRIOS DO FACEBOOK SOBRE CÂNCER

Pesquisa dentro da linha de percepção pública em câncer, realizada por grupo do Programa de Oncobiologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e com financiamento da Fundação do Câncer, analisou o comportamento dos usuários do Facebook em relação à doença. A responsável pelo estudo, a jornalista Priscila Biancovilli, que teve a orientação da professora Claudia Jurberg, revela que a pergunta que norteou o trabalho foi “O que atrai mais a atenção do brasileiro dentro do Facebook na área de câncer?”, com monitoramento no período entre janeiro e junho de 2014 e comparativo em 2017. A defesa do mestrado aconteceu em julho desse ano, no Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo de Meis, da UFRJ.
“Atualmente, das 500 páginas brasileiras com maior número de seguidores no Facebook, somente cinco falam sobre saúde. O objetivo foi compreender como algumas fanpages abordavam o tema câncer e os aspectos que geravam maior número de comentários, likes (curtidas) ou compartilhamentos, em três páginas com alto número de seguidores e usuários participativos. A partir dessa análise, elaborar e validar uma ferramenta de informática que automatize a análise de conteúdo no Facebook”, conta Priscila Biancovilli, que apresentou os resultados da pesquisa “Facebook e câncer: buscando ferramentas para uma comunicação mais eficiente”, no fim de agosto, em um congresso internacional da RedPop, em Buenos Aires, na Argentina.
O aplicativo será adaptado ao novo formato do Facebook e, posteriormente, disponibilizado para instituições públicas de pesquisa. Sua aplicabilidade pode ser útil para subsidiar os profissionais de comunicação em saúde/câncer na produção de conteúdo que atinja a um público mais amplo e de forma mais eficiente, levando, por exemplo, informações sobre prevenção e diagnóstico precoce. O artigo científico foi publicado no periódico internacional Cogent Social Science (To read or not to read? Identifying communication patterns in three cancer-related Facebook pages | Cogent OA). Em breve, a dissertação completa será disponibilizada no site do Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo de Meis, da UFRJ.
O Brasil é o terceiro país com maior número de usuários, atrás apenas de Estados Unidos e Índia. No período de abril de 2016 a abril de 2017 foram computados 24 milhões de novos usuários no pais, de acordo com dados da plataforma de estatísticas Statista.


*Funte: Fundação do Câncer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário